Permita-se. Abrace o ato de dar permissão à si mesma.

O mundo tá muito louco. É fast food, fast fashion, e algo que eu cheguei a conclusão que estamos fazendo: fast being. Se é que estamos realmente “sendo”.

Quando que você para pra se permitir ser, sentir? Buscar realizar suas reais vontades, não as que esperam que você tenha? Como anda sua qualidade de vida real? Aquela que você não posta?

Tem muita cobrança. Pouco ‘permita-se’ ser e fazer. Tem muita crítica, pouca mão estendida e ombro amigo. Nesse jeito de ir levando, a gente esquece de parar pra ir vivendo, pra desacelerar, ou pra correr contra o vento, que seja.

E se você me perguntar “permita-se o quê?”, taí um vídeo tosco que eu me permiti fazer com uma mensagem pra você.


Se tiver dificuldade de visualizar esse vídeo, clique aqui.

Esse tópico estava na minha lista há um tempo, e agendado pra eu postar agora no início do ano, mas não tinha um motivo específico… Até a semana retrasada, quando decidi me permitir parar pra cuidar de mim.

Muito mais que isso, tirar bem mais que apenas algumas horas pra eu ficar só com meus pensamentos. Bem mais que férias onde continuo trabalhando. E o mais importante: admitir que eu estava precisando. Me permitir ser uma pessoa de carne e osso, que precisa de descanso, e que precisa de tempo só.

Decidi tirar 5 dias pra pensar em mim, nas minhas prioridades, e ter meu momento de individualidade – que é um dos meu valores morais principais (podemos falar sobre valores em outra hora).

A minha “permissão pra mim mesma” foi tirar uns dias off, bem longe de tudo e de todos que conheço (incluindo o marido), e sem acesso à internet boa parte do tempo. A maneira que você pode se permitir vai depender do que você tá precisando – e da sua criatividade pra desenrolar e fazer as coisas acontecerem.

Não precisa gastar dinheiro se não puder… às vezes uma caminhada e água de coco na praia, um banho demorado ouvindo aquela playlist que você ama, ou um dia inteiro de Netflix e brigadeiro, já resolva. Talvez uma semana sem “to-do list“, ou mesmo começar algo novo. Quem sabe se permitir sair sem maquiagem, usar uma roupa mais confortável e menos ‘Tumblr’? Tudo isso são formas de se permitir, de tirar o peso e se sentir mais leve.

Se puder investir, uma viagem sozinha tipo a que tô fazendo pode ser uma também- principalmente se você nunca fez isso (vou falar disso mais na frente). Passar uns dias num hotel fazenda, ou numa cabana na praia, ou num cruzeiro (tem vários baratinhos!). Que tal?

A nossa qualidade de vida afeta nossa saúde mental e física. Tire um tempo pra fazer algo que gosta, ou pra dar um tempo pra você. Independente do que você precisa se permitir ser ou fazer, apenas se permita. Assuma esse compromisso com você, com seu corpo, sua alma. Seja menos ‘fast being‘, apenas seja.

Eu não posso falar se a viagem realmente valeu a pena, porque tô no meio dela se você tá lendo na mesma semana que fiz essa postagem. Mas vou te contar… minha energia e humor mudaram assim que apertei “confirma” na reserva. Tanto que eu fiz a mala no mesmo dia, mesmo tendo 10 dias pra viagem.

Bom, espero que esse post te ajude a se permitir mais. Seja lá o que você esteja precisando, apenas se permita.

Clique aqui para baixar o e-book “Design de Estilo de Vida na Prática” gratuitamente.

Bjo,
Belle – @suavidadesenhada

YouTube | Facebook | Instagram | Contato | e-book | Grupo Facebook

Clica aqui pra se inscrever no mini-curso Dreamlist –
Transformando Sonhos em Metas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *